Objetivo

O AMOR É ASSIM

É como esse copo.

Como executiva, eu costumava usar uma frase motivacional quando fazia sessões de planejamento com os colaboradores: “Olhem a metade cheia do copo”.

A imagem acima apresenta um copo cheio com água até a metade. Soa estranha a frase? Então, pense e perceba que é uma escolha afirmar que o copo está meio cheio ou meio vazio. Uma escolha.

Imagine que os momentos da sua vida fossem transformados em copos com água, todos com água até a metade. A qual das metades você voltaria a sua atenção? Você diria que está “meio cheio” das lembranças boas e ideias positivas ou “meio vazio” com tantos problemas, arrependimentos e casos não solucionados?

O que isso nos ensina?

Onde está seu foco!? Lembre-se que tudo tem um lado positivo e um negativo, prós e contras.

Na verdade, o que realmente importa na tratativa dos problemas em nossas vidas – o que faz a diferença – é como nós os vemos. Ou seja, quando adotamos um “ponto de vista” pessimista observamos somente a metade vazia do copo e o problema às vezes torna-se até maior e mais complexo do que aparenta. Ao passo que adotar um “ponto de vista” otimista – observando a metade cheia do copo – tende a ajudar na resolução do problema.  Lembre-se que o copo é o mesmo e os obstáculos em nossas vidas sempre existirão, entretanto, o “ponto de vista” com o qual os enxergamos fará a diferença. Vale pra tudo na vida. Uma questão de escolha, que muda nosso sentimento em relação aos fatos.

Passei a olhar de forma diferente para aquelas pessoas que ficam sentadas a beira da rua olhando a vida passar.

Quando eu olhava a metade vazia do copo, pensava: “que falta do que fazer!”. Ao observar a metade cheia do copo, mudo o meu foco para: “como deve ser bom ficar ali, fora de casa, vendo gente, curtindo o vento!” Do desdém à gratidão! Melhor pra mim, pois o sentimento que fica é bom. Melhor para as pessoas da cena, pois assim a vibração que chega para elas é positiva. Eu passo a olhar para elas com encanto e não mais com crítica.

Somos o que fazemos e fazemos o que sentimos.

Em outras palavras: nossas ações refletem nossos pensamentos. E nossos pensamentos podem ser direcionados para o bem. É uma escolha.

É para inspirar estes bons pensamentos, para preencher nossas memórias com alegrias e bons exemplos, que vamos selecionar algumas estórias para contar aqui diariamente.

Vamos falar de amor! Você reconhece o texto abaixo?

  “Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos,  e não tivesse amor,
seria como o metal que soa ou como  o címbalo que tine. 

E ainda que tivesse o dom de profecia, conhecesse todos os mistérios,

toda a ciência, ainda que tivesse toda fé, a ponto de transportar
as montanhas , se não tivesse amor, nada seria. 

E ainda que distribuísse todos os meus bens para sustento aos famintos,

e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor,
nada disso me serviria. 

O amor é paciente,

o amor é prestativo,
o amor não é invejoso;
o amor não ostenta,
o amor não se incha de orgulho. 
Nada faz de inconveniente,
não busca os seus próprios interesses,
não se irrita,
não guarda rancor. 
Não se alegra com a injustiça,
mas se regozija com a verdade.
Tudo desculpa, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.

O amor jamais acabará.
Quanto às profecias, desaparecerão.
Quanto às línguas, cessarão.
Quanto à ciência, também desaparecerá.

Pois o nosso conhecimento é limitado
e limitada é a nossa profecia.

Mas, quando vier  a perfeição, o que é limitado desaparecerá.
Quando era uma criança, falava como criança, raciocinava como criança.
Depois que me tornei homem, fiz desaparecer o que era próprio de criança.
Agora vemos em espelho e de maneira confusa, mas depois, veremos face a face.

Agora meu conhecimento é limitado, mas depois conhecerei como sou conhecido.
Agora, portanto, permanecem a fé, a esperança, a caridade, essas três coisas.

A maior delas, porém é o amor".

Esse verdadeiro poema foi escrito pelo Apóstolo Paulo quando de sua passagem pela cidade de Éfeso por volta do ano 55 (D.C.)  em viagem missionária.

Inquestionavelmente é uma das mais completas definições do amor, talvez a mais próxima do amor infinito que somente os seres puros são capazes de sentir e vivenciar.

Isso nos motiva, nos empurra para frente, nos faz acreditar em um mundo melhor e mais! Nos faz acreditar que tudo isso só depende de nós mesmos. Basta querermos.