Feliz ano novo!

Passado o carnaval, agora não há mais desculpas. O ano começou! Nada mais nos impede de fazer o que é preciso: começar a dieta, o curso de idioma, voltar a dormir cedo, fazer ginástica… Mas, acima de tudo, rever nossas ações, conceitos e condutas. Mudar o que for necessário, em prol do bem maior. É preciso estar bem, para fazer o bem àqueles que estão ao nosso redor.

Como disse Mario Quintana:

” Atirei-me, pois, metaforicamente, pela janela do tricentésimo-sexagésimo-quinto andar do ano passado.
Morri? Não. Ressuscitei. Que isto da passagem de um ano para outro é um corriqueiro fenômeno de morte e ressurreição – morte do ano velho e sua ressurreição como ano novo, morte da nossa vida velha para uma vida nova. “

Que saibamos apreciar a beleza de cada passagem. Renovando nossa esperança em um mundo melhor, a começar por nós mesmos.

Fechando, novamente com Mario Quintana:

“Lá bem no alto do décimo segundo andar do Ano
Vive uma louca chamada Esperança
E ela pensa que quando todas as sirenas
Todas as buzinas
Todos os reco-recos tocarem
Atira-se
E
— ó delicioso vôo!
Ela será encontrada miraculosamente incólume na calçada,
Outra vez criança…
E em torno dela indagará o povo:
— Como é teu nome, meninazinha de olhos verdes?
E ela lhes dirá
(É preciso dizer-lhes tudo de novo!)
Ela lhes dirá bem devagarinho, para que não esqueçam:
— O meu nome é ES-PE-RAN-ÇA… “

Porque o amor é assim: anda sempre junto com a fé e a esperança.

Acredite, espere e ame sempre.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.