Quando o desafio dos 10 anos simboliza fé, esperança e amor

Natalia luta contra a esclerose múltipla há 10 anos. Foi o #desafiodos10anos que chamou a atenção dela para esse marco. São 10 anos em que ela só perdeu uma batalha para a doença: quando surtou, quase paralisou todo o lado direito do corpo com um intenso formigamento, recebeu o diagnóstico (que define como devastador) e chegou a ficar internada por alguns dias. Foi um surto. O que a fez descobrir seu diagnóstico e mudar seu estilo de vida.

Fé…

Natão, como é carinhosamente chamada pelos amigos, tinha 19 anos quando descobriu que tinha esclerose múltipla, uma doença auto-imune e degenerativa que não tem cura. Foi um susto para toda a família. Mas logo descobriram que essa doença tem tratamento, demanda cuidados e disciplina.

Esperança…

Foi o suficiente para que Natalia, os pais e irmãos mudassem seus hábitos, adequassem a rotina e passassem a conviver com a doença. Poucos amigos da família acompanharam o desespero inicial. E muitos não sabiam de nada até que Natalia resolveu contar ao mundo sua história. Como ela mesma escreveu, “o diagnóstico, à princípio devastador, pode ter consequências boas.”

E amor…

A luta é constante, as batalhas são diárias. A disciplina é essencial e permite a ela levar uma vida normal. E por isso é tão determinada, tão guerreira, tão disciplinada. São características que combinam muito com os esportes, que ela já praticava e curtia. E onde se encontrou. Ela corre, nada, pedala. Virou triatleta dedicada. Mais: levou a família junto! Pai e irmã correram com ela a primeira corrida de longa distância. O irmão e a mãe acompanham sempre de perto também. São muito unidos. Foi o pai quem a acompanhou no primeiro triátlon. Nervos a flor da pele, ele, ela, a mãe que acompanhava tudo por telefone. E ela conseguiu! Ela se supera!!! Ela está vencendo todas!

E o desafio dos 10 anos traz mais uma meta para alcançar. Natalia quer e vai correr o Iron Man em maio desse ano. Para celebrar 10 anos sem surtos. Para revelar sua história de superação e resiliência demonstrando um amor enorme pela vida e pelas pessoas. Sim, porque a grande meta não é apenas completar o Iron Man. Ela transformou a prova em símbolos da luta contra a esclerose múltipla. Veja na publicação dela mesma numa rede social:

A mãe, claro, foi uma das primeiras a marcar pontos. Já doou sangue, medula e vai doar dinheiro também. Por falar em dinheiro, vale reforçar que a meta de arrecadação é para doação à ABEM – Associação Brasileira de Esclerose Múltipla. Para que essa instituição siga apoiando pessoas que precisam ainda mais que a Natalia. Os medicamentos são bem caros, o tratamento pode ser difícil e os sintomas não são facilmente diagnosticados e compreendidos. Apoio é fundamental.

Natalia completa 29 anos no dia 15 de maio, logo depois vem o Iron Man. Vamos torcer para que ela celebre a data duas vezes, antes e depois, já feliz com sua realização. Seja qual for o resultado, ela já tem uma medalha de ouro: sua força e seu amor transbordam. E, como disse o Papa em missa celebrada no Encontro dos Jovens Agostinianos em janeiro deste ano no México, “você só está cheio (ou pleno) quando transborda”. Natão está cheia de vida e vai conseguir!!

Estamos com você, Natão! Contra a esclerose múltipla! A favor da vida!

Porque o amor é assim: “permanecem a fé, a esperança, o amor, estes três; mas o maior destes é o amor”.

Já falamos sobre Desafio dos 10 anos antes. Leia aqui.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.